Livro

Livro: Desculpe, Mãe!

Por Sula em 30 de agosto de 2011

em Livro, Variados

Livro: Desculpe, Mãe!

Comprei este livro meio sem querer, achei interessante o nome e gostei da capa que são 2 matrioskas, bonequinhas russas que costumo aplicar nos meus trabalhos de patchwork, mas quando li gostei muito.

É diferente a forma apresentada, é um diálogo entre mãe e filha através de bilhetes que elas trocam. Assim elas vão falando o que cara a cara seria difícil dizer e também evitam gritos e brigas.

As escritoras- mãe e filha- são portuguesas e lá em Portugal o livro tornou-se um best-seller.

É um livro que prende o leitor e é muito rápido de ler pela forma como foram dispostos os diálogos.

Eu recomendo para quem tem filhos adolescentes, problemáticos, quem está com problema de entrar em sintonia com os filhos.

{ 0 comentários }

Livro: O Clube do Tricô

Por Sula em 19 de agosto de 2011

em Livro, Tricô

Mais um livro que também tem a ver c/ a arte do tricô.

O Clube do Tricô, de Kate Jacobs, tem um enredo envolvente, parece que fizemos amigas novas.

Quando o estava lendo eu ria, chorava, brigava, aconselhava, meu marido me olhava desconfiado, achando que eu estava exagerando, rsrs.

Também tem dicas de tricô bem bacanas…

Livro O Clube do Tricô

Leiam um pequeno resumo…só tem um problema: vcs vão querer ler o livro todo, um problemão, rsrs

“Georgia Walker é mãe solteira e dona da Walker and Daughter, uma aconchegante lojinha de produtos para tricô situada na sobreloja de um charmoso prédio antigo do Upper West Side.
O que começou como uma série de encomendas de suéteres e cachecóis acabou se tornando a loja-sensação da temporada e a meca de tricoteiras de todas as idades e níveis de habilidade com as agulhas.
Georgia Walker, enfim, é uma história de sucesso em Nova York. A fim de atender as clientes que às vezes estendiam a visita a loja para mostrar o andamento de uma nova peça ou aprender um ponto particularmente difícil, Georgia aceita recebê-las uma vez por semana para aulas de tricô.
As mulheres que aparecem para as reuniões passam a ser atraídas por muito mais que pontos e laçadas.
Dakota, a filha de Georgia e mascote da loja, prepara deliciosos muffins para os encontros.
Anita, a amiga mais velha de Georgia, quase uma mãe, tem a paciência que às vezes lhe falta para ouvir e ensinar.
Outras frequentadoras assíduas, como K.C., Darwin e Lucie, trazem para a mesa seus próprios sonhos e desafios pessoais. Com o tempo, essas mulheres formam um laço, tornando-se grandes amigas.
Quanto tudo parece ir de vento em popa, o passado de Georgia ameaça trazer o caos de volta a sua vida.
James, o homem por quem ela foi perdidamente apaixonada e que a abandonou pra viver com outra mulher em Paris, está de volta!Felizmente, Georgia não está mais sozinha.
Ao dividir seus segredos e angústias, as mulheres que vão até a Walker and Daughter toda sexta à noite descobrem que fizeram desses encontros algo muito maior que um clube.
A loja, um lugar caloroso e acolhedor, tornou-se um lar, e as amigas, uma família.
Para Kate Jacobs, autora do cativante O Clube do Tricô, “todas nós precisamos de um lugar como esse, e de um bando de amigas que estejam conosco para o que der e vier”.

Lindo, envolvente, apaixonante!!

{ 2 comentários }

Uma vez recebi por e-mail um conto do livro Histórias para Aquecer o Coração 2 e adorei. Daí quis ler o livro todo, claro.

Comprei o nº 1 e o nº 2 também.

Coloco logo abaixo a  história que me encantou, é sobre uma colcha de patchwork…

Histórias para aquecer o Coração 2

Fios que se entrelaçam:

“O amor é o símbolo da eternidade; ele nos faz perder qualquer noção do tempo.” ( Anna Louise de Staël)

“A linda colcha de retalhos era mesmo muito antiga, com muitas das tramas de seda quase desfeitas, mas ainda muito bonita. O tecido estava surrado e desbotado, mas ela havia sido tratada com carinho por muitos anos.

A professora que ensinava a fazer as colchas de retalhos um dia levantou a peça para mostrá-la às alunas, explicando: “Este é um tipo de desenho muito usado para colchas no século dezenove. Esta aqui foi tecida por alguém que dispunha de vários tipos de tecidos, pois apresenta muita variedade. Depois de comprá-la, percebi que era originalmente maior. Alguém dividiu ao meio”.

Todas as alunas lamentaram. Quem poderia ter cortado uma colcha tão bonita?

Uma carroça rumava para o oeste. O ano era 1852…

Enquanto se enrolava com a irmã na colcha para dormir, Katherine pensava nos acontecimentos dos últimos três anos.

Aquele era um dia especial, pois Katherine e Lucy comemoravam seus aniversários. Katherine fazia treze anos; Lucy, apenas três. Katherine ficara muito feliz em, finalmente, ganhar uma irmãzinha! Lucy chegara como um presente, bem no dia do seu aniversário. A vida parecia correr na maior harmonia.

Mas aconteceu uma tragédia quando Lucy tinha só um ano e meio. Sua mãe morreu e o pai decidiu que deviam se mudar para o Oeste.

Tudo o que possuíam foi vendido, doado ou colocado na carroça, e eles partiram em uma caravana. Naquele dia de aniversário, as duas irmãs se aconchegavam debaixo da colcha, que era tudo o que tinham para se lembrar da mãe e da casa que deixaram.

“Conte uma história”, Lucy pediu. “Conte uma história dos quadrados da colcha”.

Katherine sorriu. Toda noite a cena se repetia. Lucy adorava ouvir histórias sobre a colcha e Katherine adorava contá-las.

“De qual dos quadrados?”, perguntou. Lucy passou a mão sobre a colcha até chegar aum quadrado azul-claro, decorado com flores. “Este aqui, Katy.” A história daquele quadrado azul era sua favorita.

“Bem, este retalho vem de um vestido de festa de uma moça com um lindo cabelo ruivo. Seu nome era Nell e todos a consideravam a moça mais bonita da cidade…”

Lucy logo adormecia, mas Katherine continuava a olhar a colcha. Cada quadrado trazia à sua lembrança histórias ligadas à casa, aos amigos, à família e aos tempos mais felizes. Sua mãe fora modista e sempre tinha retalhos em casa. Assim, quase todos os quadrados eram diferentes. Tecidos finos, sedas e brocados de vestidos de festa das moças da cidade se alternavam com retalhos de vestidos da própria Katherine. Um outro viera da camisola de batizado de Lucy. Aqui, um pedaço do vestido de noiva, ali um pedaço do avental da avó. A colcha que lhes aquecia o corpo e o coração era agora o único bem que mantinha os vínculos com as alegrias do passado. Katherine dormia agradecendo por aquela colcha, seu conforto e consolo. E as histórias da colcha se multiplicaram pelo caminho.

Estavam na estrada há umas três semanas quando Lucy caiu doente, com muita febre. Katherine fez o possível para ela se sentir melhor. Durante o dia, sentava-se com a pequena na carroça, no seu lento avançar. Acariciava seu cabelo, ajeitava seu travesseiro e escolhia canções de que gostavam. À noite, com Lucy em seu colo, contava histórias dos quadrados da colcha, até que ela adormecesse.

Um dia, no fim da tarde, durante uma parada, Katherine foi buscar um pouco de água fresca no pequeno rio próximo. Ao pegar o balde, foi tomada de um sentimento de paz e sentiu que Lucy logo estaria bem. Katherine caminhou devagar sobre a grama macia em direção à água, encheu o balde e se sentou. Deitou-se sobre a grama, olhando o céu tão azul e se lembrou dessas palavras reconfortantes: “Este é o dia feito pelo Senhor. Alegra-te e sê feliz”.

Atordoada, saiu em busca do seu pai. Encontrou-o perto dos outros homens, com o corpo imóvel de Lucy no colo. Olhou para Katherine, os olhos vermelhos e inchados e simplesmente disse: “Ela agora está em paz.”

A dor de Katherine era imensa. Uma das mulheres abraçou-a, dizendo: “Vamos precisar de alguma coisa para enrolá-la. Não precisa ser nada muito grande.”

Katherine assentiu com um gesto, enquanto entrava na carroça. Não se sabe bem como, conseguiu achar a tesoura. Pegou a colcha com cuidado e, de coração partido, dividiu-a em dois pedaços.”

ANN SEELY
sob a supervisão de Laura J. Teamer

Esta é uma das histórias do livro de Jack Canfield e Mark Victor Hansen, Histórias para Aquecer o Coração 2.

{ 4 comentários }

Cartas para Julieta – o livro

Por Sula em 2 de agosto de 2011

em Livro, Variados

Já assisti o filme Cartas para Julieta várias vezes, ADORO.

Então comprei o livro. Ele é diferente do filme, não tem aquela estória. Ele fala sobre os amantes de Verona e sobre os bilhetes que as pessoas escrevem para Julieta, tem muitos exemplos lá. Assim como no filme, as cartas existem de verdade na cidade de Verona, mostram as pessoas que as respondem, os lugares mais visitados por lá. Os mitos e as verdades sobre Romeu e Julieta.

A vontade que nos dá é de pegar o primeiro avião e chegar naquele ambiente mágico o mais rápido possível. Seja quase tudo invenção ou não, não importa, é só se deixar envolver que o coração transbordará de paixão…opa, acho que já me envolvi, rsrs

Sem contar que o livro é lindo, já vale só para enfeitar a estante ou biblioteca. Ele tem formato quase quadrado, papel brilhante, muitas fotos, tudo muito romântico.

Acho que é o presente ideal para se ganhar de um amor.

Tem a carta de um homem apaixonado que me sensibilizou muito, vou transcrevê-la pra vocês se emocionarem também:

“Querida Julieta,

Já sou casado com minha esposa, Shannon, há 30 anos.

Nunca fui para a cama ou beijei outra mulher. Apesar da velhice que se aproxima, ainda somos como jovens amantes. Roubamos beijos um do outro e nos abraçamos apaixonadamente quando não há ninguém por perto. E até mesmo perto dos outros!

Embora tenhamos uma vida modesta, sinto muito prazer em dar pequenos presentes a ela, passar tempo a seu lado em um café local ou em caminhar com ela pela praia perto da nossa casa. Mas agora que estamos envelhecendo, entristeço-me ao pensar que nunca fui capaz de lhe proporcionar mais coisas na vida, nem de levá-la a nenhum lugar exótico ou distante. Quero que o mundo inteiro saiba o quanto a amo, e quem seria melhor para me ajudar nisso do que você, Julieta? Gostaria que você escrevesse para ela, falando da minha dedicação, para que ela possa ter uma lembrança minha para passar para a minha filha.

Atenciosamente,

Benjamin K., East Fremantle, Austrália, 1991″

Não é lindo? A preocupação que ele tem em deixá-la depois que partir é amor de verdade. Ele nem se toca que ela não precisa desta carta para se lembrar dele, ele estará dentro dela pra sempre.

E como esta tem inúmeras outras. Pessoas que procuram, que já perderam e que querem voltar a ter um amor.

Livro Cartas para Julieta

Livro Cartas para Julieta

Livro Cartas para Julieta

Tenho a impressão que me daria bem neste emprego, rsrs

Agora algumas frases de amor de SHAKESPEARE

“De almas sinceras a união sincera
Nada há que impeça: amor não é amor
Se quando encontra obstáculos se altera,
Ou se vacila ao mínimo temor.
Amor é um marco eterno, dominante,
Que encara a tempestade com bravura;
É astro que norteia a vela errante,
Cujo valor se ignora, lá na altura.
Amor não teme o tempo, muito embora
Seu alfange não poupe a mocidade;
Amor não se transforma de hora em hora,
Antes se afirma para a eternidade.
Se isso é falso, e que é falso alguém provou,
Eu não sou poeta, e ninguém nunca amou”

“É um amor pobre aquele que se pode medir”

“Lutar pelo amor é bom, mas alcançá-lo sem luta é melhor”

“Duvida da luz dos astros,
De que o sol tenha calor,
Duvida até da verdade,
Mas confia em meu amor”

{ 23 comentários }

Vocês já leram um livro que fica na memória para sempre?

Pois o livro “Um Bom Tricô”, de Debbie Macomber, é assim para mim, ESPETACULAR!!

A história dele nos prende, emociona. Eu tinha uma ideia do que ia acontecer no final mas ele me surpreendeu totalmente, dei um gritinho, chorei de emoção, não esperava aquele desfecho.

Acho que sou muito emotiva, acho não, tenho certeza. Então me envolvo demais em tudo que faço, entro de cabeça e com livros não é diferente. Se eu não entrar no personagem então nem leio.

Apesar do título, o livro não é só sobre tricô. Tem a ver, claro, mas não é só isso. Dentro da história simples ele vai nos enrolando e você passa a fazer parte daquele mundo, quer estar lá, viver lá.

Quando acabei de ler confesso que sofri de crise de abstinência, fiquei abraçada com o livro, cheirei as folhas. Que triste.

Livros e filmes são coisas complicadas para se recomendar, cada um tem um gosto. Mas se você quiser tentar garanto que não será perda de tempo, será uma boa diversão.

Fiquei tão empolgada que comprei todos os outros livros da autora mas nenhum deles tem o mesmo charme do “Um bom tricô”.

Livro Um bom tricô

De brinde o livro traz a receita de uma manta de tricô que pode ser pra bebê ou se fizer um pouco maior dá pra usar pra ver tv, nas viagens, pra deixar nos pés da cama, deitar na rede.

Já fiz esta manta mas não fotografei, entreguei as pressas e quando lembrei era tarde mas logo vou fazer outra.

Manta Um bom tricô

A receita da manta

Manta dos Quadrados:

Lã de grossura média, compatível com agulha de tricô nº 5.

Obs.: As instruções entre asteriscos devem ser repetidas pelo número indicado entre colchetes.

Por exemplo: *3 meias, 3 tricôs [3 vezes]* significa 3 meias, 3 tricôs, 3 meias, 3 tricôs, 3 meias, 3 tricôs.

Monte 171 pontos.

Barra:

1ª carr: *3 meias, 3 tricôs*, termine com 3 meias.

2ª carr: *3 tricôs, 3 meias*, termine com 3 tricôs.

3ª carr: Repita a 1ª carreira.

4ª carr: Repita a 2ª carreira.

5ª carr: *3 tricôs, 3 meias*, termine com 3 tricôs.

6ª carr: *3 meias, 3 tricôs*, termine com 3 meias.

7ª carr: Repita a 5ª carreira.

8ª carr: Repita a 6ª carreira.

9ª a 12ª carr: Repita as primeiras 4 carreiras.

Corpo:

13ªcarr: 3 tricôs, 3 meias, 3 tricôs, *9 meias, 9 tricôs [8 vezes]*, 9 meias, 3 tricôs, 3 meias, 3 tricôs.

14ª carr: 3 meias, 3 tricôs, 3 meias, *9 tricôs, 9 meias [8 vezes]* 9 tricôs, 3 meias, 3 tricôs, 3 meias.

15ª carr: Repita a 13ª carreira.

16ª carr: Repita a 14ª carreira.

17ª carr: 3 meias, 3 tricôs, 3 meias, *9 meias, 9 tricôs [8 vezes], 12 meias, 3 tricôs, 3 meias.

18ª carr: 3 tricôs, 3 meias, 3 tricôs, *9 tricôs, 9 meias [8 vezes], 12 tricôs, 3 meias, 3 tricôs.

19ª carr: Repita a 17ª carreira.

20ª carr: Repita a 18ª carreira.

21ª a 24ª carr: Repita da 13ª a 16ª carreiras.

25ª carr: 3 meias, 3 tricôs, 3 meias *9 tricôs, 9 meias [8 vezes]*, 9 tricôs, 3 meias, 3 tricôs, 3 meias.

26ª carr: 3 tricôs, 3 meias, 3 tricôs *9 meias, 9 tricôs [8 vezes]*, 9 meias, 3 tricôs, 3 meias, 3 tricôs.

27ª carr: Repita a 25ª carreira.

28ª carr: Repita a 26ª carreira.

29ª carr: 3 tricôs, 3 meias, 3 tricôs *9 tricôs, 9 meias [8 vezes]*, 12 tricôs, 3 meias, 3 tricôs.

30ª carr: 3 meias, 3 tricôs, 3 meias *9 meias, 9 tricôs [8 vezes]*, 12 meias, 3 tricôs, 3 meias.

31ª carr: Repita a 29ª carreira.

32ª carr: Repita a 30ª carreira.

33ª a 36ª carr: Repita da 25ª a 28ª carreiras.

Repita da 13ª a 36ª carreiras até que a peça meça aproximadamente 105 cm e você tenha tricotado por último a 13ª ou a 32ª carreira.

Segunda borda:

Repita da 1ª a 12ª carreiras e arremate (com pontos não muito apertados).

“Não há nada como a liberdade”
Nelson Mandela

{ 12 comentários }