colcha

Filme: Colcha de Retalhos

Por Sula em 27 de agosto de 2011

em Variados

Tenho certeza que a maioria das mulheres que fazem ou admiram trabalhos manuais e que são românticas ou cinéfilas já viram o filme Colcha de Retalhos.

Mas é sempre bom assistir de novo para ver melhor os detalhes de tudo.

Ele é realmente  apaixonante, envolvente. É de novo aquela velha história: amigas que se juntam e discutem sobre casamentos, filhos, amizades, romances, relacionamentos em geral. Falam sobre o passado, mágoas que ficaram.

E de quebra ainda fazem uma colcha de patchwork. O que mais podemos querer?

É só se acomodar no sofá com uma manta gostosa, comer pipoca e beber coca-cola.

Esquecer do mundo lá fora e dos problemas também faz parte do pacote.

Relembrem e deliciem-se com o trailer…

{ 0 comentários }

Uma vez recebi por e-mail um conto do livro Histórias para Aquecer o Coração 2 e adorei. Daí quis ler o livro todo, claro.

Comprei o nº 1 e o nº 2 também.

Coloco logo abaixo a  história que me encantou, é sobre uma colcha de patchwork…

Histórias para aquecer o Coração 2

Fios que se entrelaçam:

“O amor é o símbolo da eternidade; ele nos faz perder qualquer noção do tempo.” ( Anna Louise de Staël)

“A linda colcha de retalhos era mesmo muito antiga, com muitas das tramas de seda quase desfeitas, mas ainda muito bonita. O tecido estava surrado e desbotado, mas ela havia sido tratada com carinho por muitos anos.

A professora que ensinava a fazer as colchas de retalhos um dia levantou a peça para mostrá-la às alunas, explicando: “Este é um tipo de desenho muito usado para colchas no século dezenove. Esta aqui foi tecida por alguém que dispunha de vários tipos de tecidos, pois apresenta muita variedade. Depois de comprá-la, percebi que era originalmente maior. Alguém dividiu ao meio”.

Todas as alunas lamentaram. Quem poderia ter cortado uma colcha tão bonita?

Uma carroça rumava para o oeste. O ano era 1852…

Enquanto se enrolava com a irmã na colcha para dormir, Katherine pensava nos acontecimentos dos últimos três anos.

Aquele era um dia especial, pois Katherine e Lucy comemoravam seus aniversários. Katherine fazia treze anos; Lucy, apenas três. Katherine ficara muito feliz em, finalmente, ganhar uma irmãzinha! Lucy chegara como um presente, bem no dia do seu aniversário. A vida parecia correr na maior harmonia.

Mas aconteceu uma tragédia quando Lucy tinha só um ano e meio. Sua mãe morreu e o pai decidiu que deviam se mudar para o Oeste.

Tudo o que possuíam foi vendido, doado ou colocado na carroça, e eles partiram em uma caravana. Naquele dia de aniversário, as duas irmãs se aconchegavam debaixo da colcha, que era tudo o que tinham para se lembrar da mãe e da casa que deixaram.

“Conte uma história”, Lucy pediu. “Conte uma história dos quadrados da colcha”.

Katherine sorriu. Toda noite a cena se repetia. Lucy adorava ouvir histórias sobre a colcha e Katherine adorava contá-las.

“De qual dos quadrados?”, perguntou. Lucy passou a mão sobre a colcha até chegar aum quadrado azul-claro, decorado com flores. “Este aqui, Katy.” A história daquele quadrado azul era sua favorita.

“Bem, este retalho vem de um vestido de festa de uma moça com um lindo cabelo ruivo. Seu nome era Nell e todos a consideravam a moça mais bonita da cidade…”

Lucy logo adormecia, mas Katherine continuava a olhar a colcha. Cada quadrado trazia à sua lembrança histórias ligadas à casa, aos amigos, à família e aos tempos mais felizes. Sua mãe fora modista e sempre tinha retalhos em casa. Assim, quase todos os quadrados eram diferentes. Tecidos finos, sedas e brocados de vestidos de festa das moças da cidade se alternavam com retalhos de vestidos da própria Katherine. Um outro viera da camisola de batizado de Lucy. Aqui, um pedaço do vestido de noiva, ali um pedaço do avental da avó. A colcha que lhes aquecia o corpo e o coração era agora o único bem que mantinha os vínculos com as alegrias do passado. Katherine dormia agradecendo por aquela colcha, seu conforto e consolo. E as histórias da colcha se multiplicaram pelo caminho.

Estavam na estrada há umas três semanas quando Lucy caiu doente, com muita febre. Katherine fez o possível para ela se sentir melhor. Durante o dia, sentava-se com a pequena na carroça, no seu lento avançar. Acariciava seu cabelo, ajeitava seu travesseiro e escolhia canções de que gostavam. À noite, com Lucy em seu colo, contava histórias dos quadrados da colcha, até que ela adormecesse.

Um dia, no fim da tarde, durante uma parada, Katherine foi buscar um pouco de água fresca no pequeno rio próximo. Ao pegar o balde, foi tomada de um sentimento de paz e sentiu que Lucy logo estaria bem. Katherine caminhou devagar sobre a grama macia em direção à água, encheu o balde e se sentou. Deitou-se sobre a grama, olhando o céu tão azul e se lembrou dessas palavras reconfortantes: “Este é o dia feito pelo Senhor. Alegra-te e sê feliz”.

Atordoada, saiu em busca do seu pai. Encontrou-o perto dos outros homens, com o corpo imóvel de Lucy no colo. Olhou para Katherine, os olhos vermelhos e inchados e simplesmente disse: “Ela agora está em paz.”

A dor de Katherine era imensa. Uma das mulheres abraçou-a, dizendo: “Vamos precisar de alguma coisa para enrolá-la. Não precisa ser nada muito grande.”

Katherine assentiu com um gesto, enquanto entrava na carroça. Não se sabe bem como, conseguiu achar a tesoura. Pegou a colcha com cuidado e, de coração partido, dividiu-a em dois pedaços.”

ANN SEELY
sob a supervisão de Laura J. Teamer

Esta é uma das histórias do livro de Jack Canfield e Mark Victor Hansen, Histórias para Aquecer o Coração 2.

{ 4 comentários }

O melhor de Julho de 2011

Por Sula em 31 de julho de 2011

em Variados

Julho foi o primeiro mês completo do Muitas Artes, e pra comemorar fiz este post com um resumo do que de melhor foi postado até o momento.

Gostaria de agradecer a todas que visitaram, comentaram e me enviaram mensagens por email. Aproveito para sugerir que você siga o meu Twitter, curta a página no Facebook ou assine o Feed aqui do site, ou então que use o formulário no menu aí do lado para receber as postagens do blog por email. Deste modo, você não perde nada do que acontece aqui no blog.

Sapato de tricô (adulto)

Sapato de trico adulto

Quillow Soft

Quillow Soft

Colcha de Patchwork

Colcha de Patchwork

Receita: Pantufa de tricô

Receita: Pantufa de tricô

Conjunto para bebê em tricô

Conjunto para bebê em tricô

Puxa-saco de abóbora em Patchwork

Puxa-saco de abóbora em Patchwork

PAP: Sapatilha de crochê para adulto

PAP: Sapatilha de crochê para adulto

Bolsinha de feltro para brincar

Bolsinha de feltro para brincar

PAP: Sapato de tricô para adulto

PAP: Sapato de tricô para adulto

PAP: Botinha de tricô

PAP: Botinha de tricô

{ 0 comentários }

Colcha de patchwork

Por Sula em 7 de julho de 2011

em Patchwork

Terminei esta colcha que fiz para a Bá (minha neta), ela escolheu os tecidos dos vestidinhos e cortou os moldes. Já está ajudando.

Tirei as fotos em cima da minha cama que é enorme e como a colcha é de solteiro ficou sobrando dos lados…

Colcha de patchwork

Colcha de patchwork

Colcha de patchwork

Colcha de patchwork

O quilt visto de perto:

Colcha de patchwork

O avesso é tecido xadrez rosa…

Colcha de patchwork

Colcha de patchwork

Detalhe do vestidinho, todos foram caseados a mão…

Colcha de patchwork

Colcha de patchwork

Colcha de patchwork

Colcha de patchwork

E aí, gostaram?

“A lealdade refresca a consciência, a traição atormenta o coração”
Marquês de Maricá

{ 3 comentários }